Dúvidas Frequentes

FAQs - Dúvidas Frequentes

Não! Deve-se evitar sentar na cama dos doentes, porque trazemos bactérias de casa nas roupas. O hospital tem bactérias próprias, que não devem se misturar.

Podem, sob supervisão, mas não devem. Crianças de colo não deverão engatinhar no piso do hospital. Os hospitais, hoje, têm bactérias muito resistentes e as crianças não sabem que não devem colocar coisas do chão na boca. Se a criança fizer uma visita em um hospital, deverá ficar no colo de um adulto. Caso toque em alguma superfície, deve ter suas mãozinhas lavadas. Por isso, os hospitais permitem visitas de crianças acima de 12 anos, que já compreendem que não podem mexer em tudo que veem e que vão lavar as mãos, antes de ir.

Todas as pessoas que entram em hospitais e visitam pacientes devem lavar as mãos, antes e depois da visita, evitando sentar na cama do paciente. Essa simples medida pode ajudar muito na prevenção da infecção hospitalar. A maioria (80%) das infecções hospitalares é prevenida com a simples higiene das mãos.

De preferência, não. Se levar alguma coisa de comer, é melhor perguntar se a pessoa não está de dieta ou o que ela pode comer. Escolha levar uma revista, um livro, um brinquedo, e nada de comer. Além disso, o resto dos alimentos no quarto pode contribuir para atrair insetos e roedores.

Se gripado ou com alguma lesão na pele, é melhor que não. Os pacientes nos hospitais estão mais vulneráveis que as pessoas com saúde. Por isso, é bom evitar que eles se exponham a mais uma doença.

Não. Nem sempre, a infecção hospitalar ocorre por falha do hospital. Algumas infecções ocorrem por debilidade do paciente, seja pela própria doença, pela idade avançada, pelo baixo peso ou mesmo pelo tratamento que ele deve receber, por exemplo, quimioterapia, radioterapia (só para exemplificar).

Não, isso não é possível! Desde que um paciente entre no hospital, pode ocorrer uma infecção hospitalar, mesmo no melhor hospital do mundo, sem que haja culpa do hospital. Às vezes, é a doença da pessoa que favorece a ela pegar uma infecção, mesmo que se tomem todos os cuidados para que isso não ocorra.

As mais comuns são: a infecção urinária (na pessoa que precisa de uma sonda na bexiga), a infecção cirúrgica (não se tem como evitar a necessidade de uma cirurgia), a pneumonia (mais comum nos que fumam e nos idosos) e a infecção de catéter (quando é preciso tomar soro na veia).

Sim, mas o visitante deve, primeiro, perguntar à enfermagem que tipo de cuidados tomar para não se contaminar.

Os cuidados são sempre os mesmos: lavar as mãos, antes e depois de atender o paciente. As pessoas em casa não correm riscos com essa bactéria, porque estão saudáveis. O maior problema é dentro do hospital, para evitar a transmissão a outros pacientes internados.

Receba nossas novidades direto no e-mail: